NOTÍCIAS > INFORMES

Os 10 mandamentos homeopáticos no processo infantil

Este artigo destina-se à orientação a perguntas mais freqüentes durante as consultas homeopáticas envolvendo a Pediatria.

Ele foi adaptado de texto escrito por nosso querido colega de Jundiaí/SP, Dr. REZENDE (Dr. Antônio Carlos S. Rezende – Pediatra Homeopata).

E se houver Febre?

Quando a opção é o uso da Homeopatia, a situação ferve. Surgem os tabus, os temores e as ansiedades (dos pacientes x familiares x profissionais). Este método visa à obtenção de informações, obtidas dos acompanhantes ou até dos próprios pacientes, quando já podem contar o que sentem, para podermos entender toda a manifestação febril. É necessária toda a fidelidade destas informações para podermos esfriar a situação, jogando água, digo gotas, glóbulos na fervura !!

1. Temperatura

Infalivelmente, quando a marca dos termômetros ultrapassa os 38º C, instala-se o pânico. Na avaliação homeopática, este valor vale 1, numa escala de 0-10. Portanto, além dela outros terão muita importância.

Faça a medição correta da temperatura axilar (D/E), deixando o termômetro por três minutos. Faça um gráfico das medidas, anotando-as a cada três horas. Não cometa os erros de medir sob as cobertas, durante o sono, a cada 10 minutos, etc...

Espere 60 minutos para iniciar qualquer medicamento. Isto mesmo; esta é a hora de observação. Aproveite ao máximo este tempo para realizar observações gerais!!

Banhos com água morna, compressas frias podem ser utilizados, desde que o(a) paciente aceite.

2. Sede

É mais um tópico importante, principalmente quando ela está ausente. Caso ela esteja presente, observar quanto de líquido o(a) paciente toma e em que intervalos, bem como a temperatura dos mesmos.

3. Transpiração

Na maioria das vezes, a referência comum é: transpira muito Depois do antitérmico !! Este tipo de observação não tem valor algum. Precisamos observar onde (cabeça, tronco, membros) e como transpira (profusa, escassa, fria, quente) se ela melhora ou piora o estado do(a) paciente, ou aparece ao ceder a febre.

4.  Rosto-Corpo-Extremidades

Outra informação difícil de ser colhida, pois raramente são notados. São eles: cor do rosto e das orelhas, partes mais quentes do corpo, como estão as mãos e os pés (quentes? frios?).

5.  Atitudes

Sempre anotar as atitudes assumidas durante a febre. Se está agitado, prostrado, posição no leito, onde quer ficar?

6. Sensações

Como se apresenta a febre: sente-se frio ? Sente-se calor ? Quer cobrir-se ou descobrir-se ? Tem calafrios ? “Bate os dentes/o queixo”?

7. Sono

Outro detalhe muito valorizado na visão homeopática, pois a febre pode surgir enquanto dorme: a febre pode causar sonolência, também; fazer o(a) paciente dormir profundamente ou apresentar insônia. Aqui podem aparecer os DELÍRIOS, sintomas de valor incalculável, pois definem o remédio mais apropriado.

8. Concomitantes

Numerosas vezes surgem sintomas com a febre como: vômitos, tonteiras, dores de cabeça, etc. Eles não podem ser esquecidos, pois ajudam na busca do remédio também.

9. Apetite

Na maioria das vezes a resposta é: ausente !! Entretanto, muitas vezes, ele está aumentado na febre. Importantes são os desejos, os DESEJOS e AVERSÕES alimentares e a temperatura dos alimentos.

10. Comportamento

É importante observar que mudanças ocorrem no comportamento da criança durante a febre. Se a criança está chorosa, medrosa, irritada, mandona, sensível, etc.

Com a observação desses vários itens, a Homeopatia poderá proporcionar seguramente um tratamento mais saudável e uma evolução mais rápida nos vários processos febris que acometem a maioria das crianças que se tratam com ela.

Dr. Marcos Dias de Moraes
Médico Homeopata de Adulto e Crianças - Tel.: 3813 1130

voltar