NOTÍCIAS > INFORMES

Ansiedade - a Homeopatia pode ajudar a reduzir os sintomas

Para tanto, o médico homeopata precisa entender como são as situações em que o paciente se sente ansioso.
ansiedade
Ansiedade é uma queixa comum em consultório do homeopata. O paciente vem à consulta e conta que é muito ansioso e queria tratar com Homeopatia, pois não quer fazer uso de medicamentos "tarja preta".

Uso de substâncias químicas
Drogas têm sido utilizadas ao longo das gerações e de forma ancestral para diminuir sofrimentos, dores físicas até as psíquicas. Também são usadas em rituais em que, com o alterar do estado de consciência, procura-se atingir o autoconhecimento e os meios de obter "perdão" e "sabedoria", como no Santo Daime e o uso da Mescalina por tribos no México.

Com o avanço da civilização, viver em uma cidade grande é por demais estressante e cada um sofre como e quanto pode.

"Parece improvável que a humanidade em geral seja algum dia capaz de dispensar os 'Paraísos Artificiais', isto é, a busca de autotranscedência através das drogas ou ...umas férias químicas de si mesmo ...A maioria dos homens e mulheres levam vidas tão dolorosas ou tão monótonas, pobres e limitadas, que a tentação de transcender a si mesmos, ainda que por alguns momentos, é e sempre foi um dos principais apetites da alma", escreveu o autor inglês Aldous Huxley.

Levantamento estatístico feito pelo SENAD (Secretaria Nacional de Políticas Sobre Drogas) mostra que o consumo de drogas isentas de prescrição, como os ansiolíticos, inicia-se ainda nas escolas, entre 10 e 13 anos, em cerca de 6% dos alunos. Entre os adultos, a faixa etária dos idosos, maiores de 60 anos, o consumo é enorme. A solidão, a perda da família (ninho vazio), a limitação que a idade impõe, todos esses são fatores facilitadores de depressão e outros transtornos psíquicos.

Solução homeopática
Com toda pressa em se resolver tudo rapidamente, o uso de diferentes substâncias é por demais atrativo e fácil. Mas somente as drogas resolvem? Isso nos traz à Homeopatia. Ao tratar esse tipo de transtorno, como a ansiedade no caso, a questão sempre é tentar descobrir como é essa ansiedade. Como assim?

Ansiedade não é um sintoma único, tem diversas características e cada pessoa "sofre" e é "ansiosa" a sua maneira. Vai desde a depressão até o pânico. Pode-se conviver e aprender a lidar com a ansiedade, com o apoio psicoterápico com um profissional competente e sensível e práticas alternativas: ioga, respiração, meditação, acupuntura, fitoterapia, homeopatia.

O SUS (Sistema Único de Saúde) implantou o programa PNPIC: Política Nacional de Práticas Integrativas e Complementares. Acredito que este movimento é uma percepção de como este assunto é complexo, crescente e deve utilizar-se de todos os meios disponíveis. O Brasil figura entre os países em que muito se consume antidepressivos.

Ansiedade não é uma queixa simples e sempre vem acompanhada de sofrimento. No repertório de sintomas homeopáticos, aquele livro preto que fica sobre a nossa mesa, "Ansiedade" ocupa quatro páginas. Temos várias formas de a ansiedade manifestar-se e uma infinidade de variações, cada qual com seu medicamento. Por isso é preciso saber quando a ansiedade aparece (antes de uma entrevista, antes de uma viagem, antes de uma prova) e o que a pessoa sente (não consegue dormir, ou esquece tudo na hora da prova ou tem dor de barriga...).

O paciente também descreve situações inusitadas: ao ouvir uma campainha, ao deitar (só melhorando ao adormecer), como se fosse culpado de algo e se esconde, sentir ansiedade pelo futuro, por sua saúde... Situações diversas: após um assalto, dentro de elevador (tenho pacientes que necessitam da companhia de minha assistente para vir à consulta, pois não entram sós em elevador). Por vezes achamos que está tudo bem, então eu me surpreendo não entrando em uma máquina de ressonância. Todos na sala riram afinal, "Sou uma doutora"! Já avisei: de jeito algum faço este exame. Tendo em vista a necessidade de fazer o exame, recorri a um colega, homeopata. Tratou com muito sucesso a chamada "claustrofobia", que eu desconhecia ter.

Creio que o ser humano encontrou diversas formas de sofrer e se formos buscar causas, as mais ancestrais possíveis, isso gera um imenso leque de causas e efeitos.

Cada medicamento homeopático (existem cerca de 2000) tem sua experimentação, descrição de suas características, sintomas mentais. Samuel Hahnemann, pai da homeopatia tem em seus primeiros escritos vários casos de doenças psíquicas tratadas com sucesso. Com o advento da psicanálise de Freud, encontramos uma associação preciosa.

A Homeopatia é calcada em quatro pilares:
1) Experimentação - Todo remédio homeopático é obtido após experimentação ou intoxicação. Não é aleatório.
2) Lei da Semelhança - Procuramos, dentro da experimentação, o remédio mais semelhante a sua doença.
3) Remédio Único - O ideal, é um remédio único. Tendo em vista a complexidade dos medicamentos e das pessoas , nem sempre é possível. Isso assemelha-se a um iceberg: vamos arrancando do topo para a profundidade, até onde a energia do paciente permitir a cura.
4) Doses Mínimas - Hahnemann considerava o paciente "fragilizado" pela doença e portanto, deveria ser medicado com muito cuidado. Este é o motivo de doses mínimas.

O medicamento homeopático traz ao paciente de volta a seu equilíbrio. A repetição da medicação adequada dá ao paciente "ansioso" fôlego para que ele resolva suas questões de desequilíbrio, até cessar o uso. Falo sempre para o paciente que a Homeopatia sozinha não faz milagres! Necessita associar-se uma mudança de postura e de atitude. Para quem já fez uso de Homeopatia a melhora é muito rápida e a sensação de alívio gratificante.

Fonte: Minha Vida

Saudações homeopáticas,
Marcos Dias de Moraes
Ate a Próxima!

Dr. Marcos Dias de Moraes é médico homeopata desde 1980 tratando crianças, adultos, idosos e famílias.

voltar